terça-feira, 15 de julho de 2008

Uma História Severina - A interferência direta do STF




Sinope

Severina é uma mulher que teve a vida alterada pelos ministros do Supremo Tribunal Federal. Ela estava internada em um hospital do Recife com um feto sem cérebro dentro da barriga, em 20 de outubro de 2004. No dia seguinte, começaria o processo de interrupção da gestação. Nesta mesma data, os ministros derrubaram a liminar que permitia que mulheres como Severina antecipassem o parto quando o bebê fosse incompatível com a vida. O documentário é a trajetória de Severina de 20 de outubro de 2004 a 10 de janeiro de 2005, quando seu bebê é sepultado. A Justiça, os hospitais, o parto, o cemitério. É a primeira vez que uma trajetória como essa é contada por imagens, que a câmera se insinua na intimidade asséptica dos tribunais, dos hospitais, dos necrotérios e dos cemitérios onde os destinos severinos são realmente decididos.

Prêmios
Prêmio da Crítica – Melhor Filme no Festival Internacional de Curtas do Rio de Janeiro – Curta Cinema 2005, Terceiro Lugar – Melhor Filme no Fort Lauderdale International Short Film Festival e mais 10 outros prêmios.

Ficha técnica
Direção e Roteiro: Debora Diniz e Eliane Brum / Produção Executiva: Fabiana Paranhos / Realização: ImagensLivres [Anis – Instituto de Bioética, Direitos Humanos e Gênero] / Apoio: The Ford Foundation, International Women’s Health Coalition, Campaña por una Convención e Unifem.

Um comentário:

CICERO disse...

O SUPREMO TRIBUNAL NO BRASIL ESTÁ SE DESMORALIZANDO PERANTE NÓS. É LÁ QUE OS POLITICOS DESONESTO QUEREM SER (JULGADOS), PORQUE SABEM QUE JAMAIS SERÃO JULGADOS. È O SUPREMO A CASA DA IMPUNIDADE,PORQUE LÁ OS PROCESSOS SE ARRASTAM INFINITAMENTE. ELES SE CONSIDERAM O ARROZ DA CIÊNCIA E A A LUZ DO UNIVERSO. AGORA VEM ESSE CIDADÃO SR GILMAR MENDES SOLTAR, COM TODA ARROGÂNCIA, UM BANQUEIRO DESONESTO, DANDO PROVA AOS NOSSOS FILHOS COMO A NOSSA JUSTIÇA É INJUSTA...EU ME SINTO ENVERGONHADO COMO BRASILEIRO